Fone
Notícias
Negócios – Volta às aulas 2014
28/10/2013

Volta às aulas 2014

 

Se o volta às aulas 2014 fosse um aluno recebendo o seu boletim escolar de final de ano, haveria uma certa preocupação. É mais ou menos aquela situação em que passou para a série seguinte, porém “raspando”, ou seja, há um “sinal de alerta”, indicando que para o próximo ano seja necessário um empenho maior, dentre outras medidas, para que a situação se reverta e melhore. É desta maneira que os empresários encaram os negócios a serem gerados no período mais importante para o setor.
No geral, o cenário econômico tem as suas oscilações, além disso, os pavorosos encargos tributários continuam massacrando o empresário brasileiro, dentre outros aspectos que interferem significativamente nos negócios. Mas é claro, todos esperam ser surpreendidos positivamente e concordam que é preciso empenho ao máximo para beneficiar-se da data. Cada um traça a sua estratégia e segue rumo a 2014.
Segundo pesquisa IBOPE, em 2013, os negócios gerados com o volta às aulas chegou a R$6,8 bilhões, o que representou um crescimento de 11% em relação a 2012. Para a próxima temporada de negócios, o instituto, até o fechamento desta edição, não possuía dados consolidados.
ABFIAE
Associação Brasileira de Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares

De acordo com Rubens Ferreira Passos, presidente executivo da Associação, com relação aos negócios a serem gerados no período de volta às aulas 2014, as expectativas são de crescimento baixo devido a atual situação econômica do país. “Nos últimos anos, os negócios têm se mantido estáveis principalmente pelo fato de que as famílias brasileiras estão tendo menos filhos e o total de matrículas em escolas, segundo o IBGE, não está crescendo. Outro fenômeno é o aumento de oferta de produtos por novas empresas no mercado, o que gera menor pressão no aumento dos preços, que têm sido reajustados abaixo dos aumentos de custos.”
www.abfiae.com.br

ACRINIL

Com uma linha de acessórios escolares que inclui réguas, transferidores, esquadros, kits, estojos e fichários, a Acrinil, tem no volta às aulas cerca de 10% a 20% do seu faturamento anual. A empresa espera manter a média de negócios gerados nos últimos três anos. “Se isso ocorrer já estará ótimo, pois a economia do Brasil, assim como a mundial, não sinaliza para grandes melhoras. As nossas vendas vêm se mantendo estáveis, apesar das dificuldades geradas pela alta carga tributária da matéria-prima e outros encargos, devido à política que adotamos para não perdermos mercado”, analisa Ademir Felix Vernice, presidente da Acrinil.
www.acrinil.com.br

ADISPA
Associação dos Distribuidores de Papelaria

“Acredito que durante os meses que antecedem o volta às aulas de 2014 teremos alguns fatores que podem afetar diretamente os resultados neste período, como o crescimento da inflação, que muitos, principalmente o governo, dizem que está sob controle, mas que na verdade está crescendo e atingindo grande parte do setor produtivo, como também o aumento do dólar, que afeta em muito as matérias-primas utilizadas na produção de diversos produtos e, claro, a grande carga tributária já conhecida por todos do setor. Contudo, existe uma expectativa que o segmento consiga alavancar as vendas neste período, que sem dúvida, é o melhor em faturamento  para a maioria do mercado papeleiro. Se houver um maior crescimento dos municípios que utilizam o benefício do Cartão Educação (concedido aos estudantes da rede pública municipal para aquisição do próprio material escolar em papelarias conveniadas, substituindo os famosos kits escolares distribuídos por prefeituras), por exemplo, traria um novo fôlego ao setor”, observa Luiz Renato de Souza, diretor comercial da Reval e presidente da entidade.
Souza lembra que o mercado de papelaria sofreu um desgaste nos últimos anos, principalmente após 2009, quando grande parte dos produtos escolares teve a incidência da substituição tributária, mesmo assim, vem se movimentando e crescendo ano a ano, com muitos lançamentos e o aumento de produtos licenciados, que dão ao mercado um melhor valor agregado e que foram responsáveis por um importante impacto nos hábitos de consumo, impulsionando inclusive a venda “casada” de vários itens de um mesmo personagem/marca.
As sugestões de Souza para que os papeleiros tenham sucesso nos negócios é que façam um bom planejamento de compras, que deve começar entre outubro e novembro, evitando a falta de mercadoria no período. Além disso, acrescenta que é importante expor adequadamente as categorias mais procuradas, de maneira que sejam vistas facilmente e que destaque os itens de valor agregado, bem como os lançamentos. Tudo isso combinado a um atendimento dinâmico e eficiente.
www.adispa.com.br

ART MANUAL

A expectativa do fabricante de estojos escolares é aumentar as suas vendas em 15%, um pouco a mais do que nos anos anteriores que registrou 10%. Com uma linha renovada e repleta de licenças para o período de volta às aulas, época mais importante para a empresa, concentrando 70% dos seus negócios, a Art Manual estará também com novos modelos de expositores e testeiras diferenciadas para destacar os produtos e as marcas nos pontos de venda. “O produto bem exposto resulta em reposição imediata”, afirma Rosana P. Rovai, gerente de vendas, destacando que muitas das marcas que trabalham estarão com campanhas em vários tipos de mídias, o que também ajuda a alavancar as vendas.
www.artmanual.com.br

BIC

“Nossa expectativa para o próximo ano é de crescimento, principalmente com o fortalecimento das linhas de marcadores, colorir, lapiseiras e acessórios. Para 2014 estamos trazendo quase 30 lançamentos a fim de movimentar o mercado. Além do investimento em produtos inovadores, a BIC pretende manter-se como uma das grandes investidoras de comunicação em papelaria e continuar reforçando o valor da marca”, afirma Luciano Andrade, gerente de papelaria.
Além de investir em inovação e tecnologia para os lançamentos de produtos, a empresa também investe em comunicação para manter a marca presente na lembrança do consumidor, principalmente durante este período de volta às aulas. Estes investimentos incluem divulgação em TV paga e aberta, revistas, material de ponto de venda, promoções, entre outras ações. A BIC também realiza parceria com escolas por todo o Brasil, com o intuito de mostrar os benefícios dos produtos e auxiliar na confecção das listas. Além disso, estão sendo programadas ações nos lojistas, mas estes projetos estão em fase de finalização e os pontos de venda sendo determinados, de acordo com o potencial de mercado e objetivos estratégicos.
www.bic.com.br
Cadersil

O fabricante de cadernos e agora agendas, projeta para o período um crescimento de 20% nas vendas. Este índice se deve ao aumento no mix de produtos, lançamentos de linhas e nas recentes melhorias que realizou em coleções já existentes. O investimento que mais se destaca nesta época está nas ações integradas de marketing, que baseando-se em estudos preliminares, permite à empresa identificar quem são e onde estão os seus clientes estratégicos e, então, elaborar a melhor ação para atingir com maior eficiência os seus objetivos. “O trabalho que realizamos no ponto de venda é adequado à realidade da maioria de nossos clientes. Neste período, em que os estabelecimentos apresentam um movimento elevado de pessoas, se não respeitarmos o layout e nos adequarmos a eles, podemos contribuir para gerar um ambiente desconfortável, no que diz respeito à grande quantidade de material promocional. O que levamos sempre em consideração é a eficiência e maximização do espaço de nossos clientes. Para dar subsídios e apoiar os lojistas, promovemos ações e campanhas relacionadas ao posicionamento de produtos no PDV”, explica Patrícia de Sousa Cabral, diretora de marketing.
www.cadersil.com.br
Carbrink

“Para nós, o volta às aulas tem sido muito positivo ao longo dos anos, aumentando o volume de vendas no período, em cerca de 25%. Nos baseamos nesse percentual em virtude da matéria-prima que compramos para industrializar os produtos relativos ao segmento. Esse é o nosso termômetro. A estabilidade econômica é a principal razão para esse crescimento, além de ações internas da nossa empresa, como os lançamentos que acabam atraindo os lojistas e consumidores”, afirma o diretor, Valter C. Miranda.
A empresa se prepara para o período, investindo em matéria-prima para produzir os itens escolares, além da modernização de seus equipamentos. Em paralelo, o departamento de marketing atua fortemente nas redes sociais, a fim de destacar para os clientes e mercado de maneira geral, os lançamentos da marca. “Não temos ações previstas nos pontos de vendas tendo em vista que não trabalhamos com produtos de forte impacto, ou seja, quem fabrica canetas, por exemplo, necessita de ações porque existe a preferência do consumidor por esta ou aquela marca. No caso da Carbrink, nossas ações são muito mais voltadas para os compradores do segmento de papelarias, oferecendo preços justos e compatíveis com o mercado”, justifica Miranda.
www.carbrink.com.br
Carplac

Especialista no segmento de carimbos, a Carplac em sua loja também incluiu artigos escolares, mas como este segmento ainda é pequeno em seus negócios, analisa com cautela o período. “Não acreditamos em um crescimento significativo nas vendas, mesmo porque este não é o nosso principal negócio, com isso, perdemos em preço e variedade de artigos, mas, estamos mais atentos às categorias de artigos escolares e materiais para escritório. Estamos com novos planos e estratégias de negócios, queremos dar uma ênfase a estes setores, inclusive entrar nas escolas para oferecer os nossos serviços e artigos ligados a papelaria e também carimbos. Hoje, acabamos ficando com o cliente de oportunidade, aquele que passa e vê que temos tal material que ele precisa”, explica Ricardo Luiz Andrade, sócio-gerente.
www.carplac.com.br

Clio Style

A empresa espera bons resultados nas vendas com a sua coleção 2014 de mochilas infantis, juvenis, lancheiras e estojos. “Na feira Escolar observamos uma ótima aceitação dos novos personagens que investimos e isso nos faz acreditar que a temporada será de bons negócios. Procuramos sempre melhorar e mostrar novidades aos consumidores, sem perder a identidade das marcas. Isso contribui para uma boa venda e também para um aumento nos negócios, é assim que a Clio tem obtido resultados positivos e crescimento”, afirma Fernanda Braga, do departamento de marketing.
Após investir no desenvolvimento da nova coleção, a Clio parte para o investimento em publicidade. “Selecionamos algumas marcas e criamos um plano de mídia a ser seguido. No ano passado, por exemplo, Reynaldo Gianecchini fez a campanha da Sou Fã de Criança e teve uma boa repercussão na mídia e nas vendas. Para este ano, renovamos a parceria com o ator e foi feito um novo ensaio com a coleção 2014. Também há novos materiais para os pontos de vendas, com o intuito de deixar as lojas mais atraentes e consequentemente alavancar as vendas, com a presença da marca e da imagem do ator. Além disso, a Clio procura estar presente no dia a dia do consumidor e já realizou algumas parcerias com produções de TV para promover a aparição de seus produtos em novelas”, lembra Fernanda.
www.cliostyle.com.br

Colacril

“Nós esperamos uma evolução nas vendas das nossas etiquetas adesivas para identificação dos materiais escolares nesta temporada de volta às aulas. Para este período, concentramos os nossos investimentos nas ações de e-mail marketing e mídia direcionada ao segmento de papelaria”, explica Vagner Jorge, gerente comercial.
De acordo com Jorge, as vendas dos itens de identificação, onde estão incluídos os produtos que comercializam para as papelarias, se mantêm em um nível equilibrado durante o ano. “Porém, no volta às aulas prevemos um crescimento na receita entre 10% e 15%.”
www.colacril.com.br

DAC

“Apostamos em um ótimo volta às aulas e para a data investimos em novas coleções de pastas, fichários, estojos e demais itens fundamentais ao dia a dia dos estudantes, assim como, inserimos novos produtos e adquirimos uma máquina de PP”, cita Michelle Cirera, do departamento de marketing.
As campanhas publicitárias são alvo da DAC neste período. A empresa levará os seus produtos para revistas voltadas ao consumidor final como: Atrevida, Capricho, Gloss e Toda Teen, também estará nas mídias sociais. Para os pontos de venda foram criadas novas caixas display, há testeiras e rolo plástico. “Complementando as ações nos PDV’s, temos uma equipe de promotores para atuar nas papelarias”, acrescenta Michelle.
www.dac.com.br

Eco Office

As lojas Eco Officce que oferecem cartuchos de tinta e toners remanufaturados, papéis, canetas, além de serviços de gráfica rápida (encadernações, cópias etc), estimam para o período de volta às aulas um crescimentode nos negócios na ordem de 13%.
Os artigos de papelaria, além de serviços como as cópias e encadernações têm uma representatividade no período de volta às aulas de aproximadamente 27,55% sobre o faturamento total das lojas. “No consumo educacional, o público universitário é significativo e procura por produtos de qualidade e serviços rápidos, especialmente impressões, fotocópias, encadernações e recargas de cartuchos. Há unidades da Eco Office que estão instaladas próximas às universidades e que possuem um faturamento diferenciado devido o consumo frequente deste público.  Há outras que promovem ações de descontos especiais para estudantes que fazem a recarga de cartucho atrelado com algum tipo de serviço público, que faça com que esse universitário entre na loja, como por exemplo, a recarga de crédito de vale transporte para estudantes”, exemplifica Weder Rodrigo, gerente de operações.
Weder afirma que os produtos relacionados ao segmento de papelaria vêm trazendo bons resultados, com um aumento significativo no faturamento total (em média vem crescendo 9% anualmente) e para a próxima temporada de negócios, a projeção está mais audaciosa.
A empresa procura investir sempre em mídia, principalmente as sociais, Facebook, blog e Twitter, pois elas vêm apresentando resultados satisfatórios para o negócio. “Sem contar que a visibilidade destas mídias é gigantesca. Também estamos programando uma ampanha nacional de volta às aulas, porém o assunto no momento é tratado com sigilo.”
www.ecoofficenet.com

Faber-Castell

Por questões estratégicas, a Faber-Castell não divulga números ou projeções, mas afirma que nos últimos anos os resultados gerados com o volta às aulas foram positivos e destaca que dentre os fatores que contribuiram para isto foram: o trabalho de visibilidade dos produtos junto ao consumidor, um mix mais completo e lançamentos com tecnologia e alto valor agregado, como as Canetinhas Ponta Vai e Vem e a Linha Grip, com exclusivas esferas antideslizantes. “Atualmente, o consumidor busca por produtos com maior valor agregado, que auxiliem na escrita, no desenho e pintura e que tenham diferencial de design. A Faber-Castell entende a necessidade desse consumidor e, por isso, tem o desafio de lançar itens cada vez mais sofisticados, que aliam tecnologia ao design moderno, sem deixar de lado a funcionalidade”,diz Elaine Mandado, gerente de comunicação corporativa.
Nesse período, a empresa investe em materiais de PDV, ação de relacionamento com clientes, equipe de vendas, mídias especializadas para lançamentos e nas ações com foco na equipe de merchandising. “Todos os anos, a Faber-Castell investe fortemente em ações de marketing. São investimentos realizados na TV, mídia online e offline, redes sociais e merchandising, além de campanhas estratégicas para os pontos de venda (desde papelarias a supermercados), confecção de displays, expositores e demais materiais para o PDV e treinamento junto aos promotores e divulgadores.”
Não apenas no período de volta às aulas, mas ao longo do ano, a companhia participa da educação e desenvolvimento criativo das crianças. Um dos projetos realizados há cerca de 20 anos é o Programa Escolar, um canal de comunicação direto com as escolas do ensino infantil e fundamental. Por meio de Encontros com Educadores, visa levar conhecimento e novas ideias aos educadores, além de colaborar no processo de desenvolvimento da criatividade das crianças, fornecendo conteúdo para a elaboração das aulas. O programa traz um tema diferente por ano e em 2013/2014, o foco é Tempo de Aprender – Criatividade.
A Faber-Castell realiza também uma ação especial no período de volta às aulas junto às escolas, conhecida como “Faxina nos Armários”, em parceria com a TerraCycle. A ideia é incentivar a coleta de materiais de escrita que não são utilizados neste período de começo do ano letivo.  A escola que arrecadar mais resíduos recebe produtos upcycled e um prêmio oferecido pela Faber-Castell.
www.faber-castell.com.br
Foroni

O fabricante de cadernos e agendas está com um planejamento agressivo de crescimento para o período que concentra os melhores negócios. “Nos primeiros dias de vendas houve um crescimento significativo muito bom, por isso, tudo indica que vamos atingir a meta. Isso se deve a um mercado cada vez mais consolidado, que ano a ano forma mais parceiros, além do fato de que o segmento caderneiro está com menos empresas atuantes”, observa a diretora Marici Foroni.
Ao analisar as vendas nos últimos anos, Marici destaca que houve uma importante variação, tanto com alto crescimento em 2 dígitos a menores com apenas um dígito (2009/2010). “Em nossos negócios observamos sempre um crescimento, ainda que variável. Isso se deve a nossa estrutura e credibilidade no mercado, ao fato de que buscamos um mix com aceitação tanto do fornecedor, quanto do cliente final. Além disso, vamos atrás de informações sobre o mercado, realizamos investimentos em logística e produção. E, em relação ao consumidor, falamos diretamente com ele, uma geração conectada e que muda rapidamente”, cita Marici.
A Foroni prepara para a temporada 2014 campanhas com lojistas e ações promocionais com os licenciados.
www.foroni.com.br

Frama

Para a empresa este promete ser o melhor volta às aulas dos últimos anos. Parte deste otimismo se deve ao lançamento de duas novas marcas de cadernos: Futurellas e Luttah, que juntam-se a sua consagrada linha de caderno costurado Splash e as colas escolares. Além disso, a empresa está com uma produção mais automatizada e uma logística mais eficiente. “Esta época é a de investirmos em marketing. Neste ano subimos de patamar com nossas novas marcas e, por isso, não vamos medir esforços para que elas sejam bem sucedidas. Temos focado nos anúncios em revistas, televisão e ações em escolas. Estamos estruturando uma ação nas escolas, que se chamará “Futurellas na Escola”, que conta com uma ampla divulgação das marcas Futurellas, Turma da Mônica e Luttah. Este tipo de ação é muito importante devido o contato direto e assim possibilitar uma comunicação direta”, cita Maurício Fischer Costa, coordenador de marketing.
A Frama também acaba de lançar o site das Futurellas (www.futurellas.com.br) e o facebook.com/Futurellas, além disso, ações em ponto de venda e em revistas do setor e para o público alvo também estão sendo planejadas. “Somos uma empresa dinâmica, que busca crescimento efetivo, fato que pode ser comprovado com a pesquisa da Revista Exame PME que nos listou entre as 250 médias e pequenas empresas que mais cresceram no país”, justifica Costa.
www.frama.com.br / www.futurellas.com.br

Fuseco

Um aumento nas vendas de 12% a 20%, esta é a projeção para o período, feita pela Fuseco. Após participar da feira Escolar, realizada no mês de agosto, e ter obtido recordes de vendas, a empresa, que tem no seu mix, mochilas, lancheiras, estojos e guarda-chuvas, segue bastante otimista. “Com o fechamento das parcerias de licenciamento e o redesign da nossa coleção juvenil, temos como objetivo dobrar as vendas”, enfatiza Alexandre Faria, designer e coordenador de projetos na Fuseco.
Faria afirma que por dois/três anos houve um certo desequilíbrio nos negócios para este período. “Em 2012/13 tivemos uma baixa significativa de aproximadamente 8% com relação aos outros anos, por diversos fatores, desde a oscilação do dólar até especulações e gastos do varejo com outros interesses, como viagens, automóveis, imóveis etc. Para o volta às aulas 2014 a Fuseco com o seu planejamento e novas estratégias, acredita e almeja para este perído uma desenfreada curva de crescimento.” Para o período, a Fuseco pretende realizar ações no ponto de venda, com o consumidor final e parceiros. Os detalhes ainda estão sendo definidos.
www.fuseco.com.br

Informs

A atuação da empresa no segmento escolar se dá por meio de suas etiquetas adesivas usadas para identificar os materiais; os adesivos plásticos transparentes (Infortact) para encapar livros, cadernos etc e os recados adesivos (Infornote), produtos lançados pela empresa nos últimos dois anos. “Apesar de não sermos totalmente sazonais, existe um aumento gradativo de negócios neste período. O mercado em si passa por forte transformação. Percebe-se um certo pessimismo, mas o que ocorre com a Informs é de certa forma inverso, pois temos adotado uma política de investimento e de cobertura de áreas até então não vislumbradas pela empresa. O ano de 2013 tem sido desafiador, mas estamos buscando novos caminhos e, principalmene, o de crescimento. Acreditamos que poderemos atingir um aumento entre 10% e 15%”, afirma Marcos Minassian, diretor presidente.
Estão sendo programadas pela Informs, ações pontuais para o período, em conjunto com a equipe de representantes, visando destacar a marca no PDV. “Os clientes são escolhidos de acordo com o relacionamento comercial que foi construído.” Além disso, são realizados investimentos em publicidade em revistas do trade, catálogos etc.
www.informs.com.br

Injex Pen

“Este ano foi bem difícil, as expectativas não eram das mais otimistas, reflexo da atuação do mercado global, em 2012. De maneira geral, as empresas tiveram que trabalhar muito para enfrentar as dificuldades, porém neste segundo semestre, principalmente para as indústrias houve uma grande reação em virtude da valorização do dólar. Por isso, nós temos a expectativa de superarmos a casa dos 20% de crescimento na linha de fabricação”, pontua Flávio Nogueira de Queiroz, diretor executivo, que na ocasião do volta às aulas investe em ações com promotores nos pontos de venda, visitas periódicas de representates, desenvolve material de PDV e, em alguns casos, promove campanhas motivacionais para a equipe de vendas. “Nos últimos anos, a Injex Pen obteve crescimento e a principal razão para isto foi a inclusão de produtos em seu mix, descentralizando o resultado em um item isolado. Nosso mix atual possui canetas esferográficas e gel, lápis preto e de cor, giz de cera, massa de modelar, cola branca e mais recentemente incluímos mochilas”, cita Flávio.
Uma dica do executivo para o mercado é que em virtude da Copa do Mundo de 2014 haverá mudanças no calendário escolar e consequentemente no comércio voltado para a época. “É muito importante estar atento para não perder as oportunidades e deixar de ser competitivo. Sugiro um estudo antecipado e aprofundado do mercado, levando-se em conta as características das regiões de atuação.”
www.injexpen.com.br
Leonora

Disponibilizando uma gama de produtos escolares, que vai do lápis de cor em resina ao lápis de madeira da linha Ouro (lançamento), a tesouras, colas, apontadores, réguas, compassos, entre outros, a empresa Leonora faz uma projeção positiva para a temporada do volta às aulas 2014, que chega a ultrapassar a perspectiva de crescimento para o ano, elevando em 40% as suas vendas. “Esse resultado deve-se a variedade no mix de produtos que equilibra qualidade e peço justo. Apesar do aumento do dólar, que prejudica os artigos importados, os itens de papelaria continuam super competitivos, atuais e criativos. As vendas se mantêm crescentes e os nossos números de crescimento ultrapassam os 30% ao ano”, comenta Carolina Moya, analista de controle de qualidade.
No volta às aulas, a empresa Leonora costuma realizar ações promocionais com os seus principais clientes-parceiros. São feitas campanhas de premiação com os clientes, com funcionários das lojas participantes e com os representantes comercias. Também acontecem divulgação e homologação dos produtos nas escolas “Estão sendo programadas novas ações para os pontos de vendas durante o volta às aulas, mas por enquanto, é supresa!”
www.leonora.com.br

Microservice

“Nossa expectativa é que tenhamos um incremento em torno de 20% no faturamento  até o final do ano nas linhas ofertadas em função do volta às aulas. Faremos uma campanha bastante agressiva para os produtos Rapid (grampeadores e perfuradores) e Leitz (pastas e outros itens de organização). Os clientes terão a oportunidade de renovar seus estoques com produtos premium a preços bastante competitivos. O consumidor está valorizando cada vez mais o seu poder de compra: pesquisando e até preferindo gastar um pouco mais por um produto que ele sabe que vai durar. Nossa estratégia para o mercado está justamente nessa direção. Há décadas a Microservice se orgulha de introduzir no mercado brasileiro produtos exclusivos e focados para um consumidor que busca qualidade”, reforça Cibele Fonseca, gerente de marketing.
O foco da Microservice como lembra Cibele está nos produtos de escritório, por esta razão, o volta às aulas não representa um grande impacto em vendas. “Porém, desde a introdução da marca Leitz , renomada marca internacional de itens de organização, estamos desenvolvendo mais o mercado de papelaria em conjunto com outros produtos de nosso mix e consequentemente o volta às aulas passará a ter uma importância maior.”
A empresa disponibilizará para a ocasião, sua equipe de promotores para atuar nos pontos de venda no sentido de demonstrar  e otimizar a presença dos produtos, estará com uma campanha promocional e fará divulgação através de canais online e offline.
www.microservice.com.br

MultiSlim

Para obter no volta às aulas 2014 (período que concentra 65% do faturamento anual da empresa), o melhor resultado dos últimos anos, a SLIM se preparou e fez sua lição de casa. A boa expectativa se deve por ter conseguido introduzir os produtos de forma significativa nos mercados de autoatendimento e no canal alimentar, que já representam 20% do seu faturamento. “A busca do mercado por produtos com certificação também nos trouxe vantagens competitivas. Soubemos aproveitar e crescer nossa carteira 13%, além do previsto”, conta Carlos Eduardo Sodelli, gerente nacional de vendas.
Sodelli afirma que nos últimos 5 anos, os resultados dos negócios gerados da SLIM têm se mostrado estáveis, com variações de crescimentos dentro das expectativas. “Este ano, os reflexos do bom desempenho de vendas do primeiro semestre e a introdução de produtos que fogem da sazonalidade do período escolar como pilhas, luminárias e lanternas, vêm nos remetendo a uma projeção  de crescimento muito superior a temporada passada. Dois outros fatores relevantes para esta análise positiva é a da antecipação do volta às aulas por conta da Copa do Mundo 2014 e a alta do dólar, fazendo com que  muitos de nossos clientes optassem pela compra de seus estoques antes do  repasse aos preços de nossos produtos, o que explica em parte, o excelente desempenho das vendas nos meses de agosto e setembro”, destaca o gerente.
www.multislim.com.br

Pritt

“No geral há uma boa expectativa com relação aos negócios para a temporada de volta às aulas, sobretudo porque 2014 será um ano atípico, por conta da antecipação do calendário escolar em função da realização da Copa do Mundo, em junho. Na prática isso significa que os resultados do período de volta às aulas 2014 também serão antecipados, tanto no atacado quanto no varejo. Por política, não revelamos números, entretanto, a expectativa é sim de aumento do volume de negócios e há uma projeção muito relevante. Fazemos investimento em mídia, ponto de venda e ações com o consumidor final, que são replicadas ao longo do ano. Algumas ações estão sendo planejadas especialmente para o ponto de venda, respeitando as características de cada canal e estágio de desenvolvimento da marca Pritt na região. Alguns pontos de vendas são parceiros de longa data e se tornaram estratégicos para alcançar o nosso o principal target”, afirma Carolina Camelier, gerente de marca – Pritt.
www.prittworld.com.br

Rendicolla

Fabricante de itens voltados para as atividades artesanais ou para uso no dia a dia, como as colas quentes em bastão, as pistolas aplicadoras, os adesivos instantâneos, os produtos de limpeza para itens de informática e as colas líquidas de silicone, a Rendicolla espera também pegar carona na temporada de volta às aulas e alavancar as vendas. “Esperamos manter o crescimento da empresa nos parâmetros dos últimos anos, ampliando nossa área de atuação. Acreditamos que todos os produtos que compõem o mix das papelarias têm ótimas chances de terem suas vendas aumentadas, já que neste período de volta às aulas o movimento de pessoas nas lojas é significativo. Escolhemos alguns clientes lojistas, localizados em pontos estratégicos, e realizamos um trabalho com promotoras com isso chamamos atenção para a nossa marca/produto”, afirma Carlos Olimpio Malucelli, diretor comercial.
www.rendicolla.com.br

SIMPA -SP
Sindicato do Comércio Varejista de Material de Escritório e Papelaria de São Paulo e Região

“Em relação aos negócios, estamos confiantes que teremos um volta às aulas mais positivo e abrangente que este ano de 2013. Esta projeção baseia-se no envolvimento maior do comércio varejista das papelarias com os artigos a serem comercializados”, afirma Antonio Martins Nogueira, presidente da entidade. Nogueira acrescenta que nos últimos anos os negócios têm se mantido estáveis nesta temporada e o resultado disso se deve principalmente ao envolvimento das negociações com os fornecedores. Também destaca o trabalho dos lojistas nesta época. “Os pontos de venda trabalham muito bem este período. No geral, eles mantêm uma exposição que valoriza os itens escolares, com foco nos artigos mais divulgados pela mídia.”
Pesquisas apontam que o ticket médio gasto pelo consumidor deve variar entre R$ 70,00 a R$ 110,00. Uma importante mudança observada no hábito de consumo neste período, segundo Nogueira, é que os pais passaram a ter a companhia dos filhos no momento da compra dos materiais escolares.
www.simpasp.com.br

Targus

As mochilas com compartimento para tablets são destaques no portfólio da Targus e, segundo a empresa, este tipo de mochila vem sendo cada vez mais usada por estudantes, o que acaba impulsionando a sua venda no período de retorno às aulas. “A cada ano, mais instituições de ensino massificam o uso de notebooks e tablets em sala. Por conta disso, a demanda por mochilas com compartimentos para dispositivos entre os jovens estudantes vem crescendo. O volta às aulas tem se tornado pico de vendas de acessórios de informática não só pelo uso destes produtos em instituições de ensino, mas também pela proximidade com o Natal. As pessoas que ganham ou compram notebooks e tablets nesta época, acabam adquirindo os seus acessórios no volta às aulas pelas ofertas mais atraentes”, analisa o diretor, Luiz Sales.
Com relação ao trabalho feito pelos pontos de venda, Sales acredita que há muito que se melhorar nas campanhas de voltas às aulas, principalmente em relação a positivação do ponto de venda. “É na gancheira, por exemplo, que a decisão de compra da nossa linha de produtos é tomada. Se a oferta não for bem comunicada e atraente, pode-se perder a oportunidade de fechar o negócio”, alerta.
www.targus.com.br